domingo, 26 de junho de 2011

Desejo...

Falei dias atrás sobre desejo e o que a palavra significava para mim... Coisas andaram acontecendo que me mostraram que o desejo pode ser tão perigoso quanto delicioso!
O que te faz sentir desejo por alguém? Ou por algo? Eu não sei responder a nenhuma dessas perguntas mas sei dizer que o mundo está cheio de delícias e que as vezes é bom demais ceder ás tentações...
Fica a dica!

Libertem-se! Que o planeta não tem retorno mesmo...

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Poesia

Um professor um dia me disse que a solidão e a angústia eram as armas dos poetas e explicou que usara a palavra armas porque a escrita é uma verdadeira guerra.

Eu acredito piamente nisso. Escrever é uma guerra desleal onde você luta com você mesmo, mas o seu inimigo tem a arma mais letal que é a tua própria verdade. A verdade de dentro não machuca por dentro, te destrói por fora e toda a vez que pegas em uma caneta a linguagem te mostra as tuas fraquezas e age como quem diz:

“ Você já perdeu a luta!” “Desiste de guerra!”

E o poeta vencido continua escrevendo.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Primeiro post com o meu iPad!

Oie... Eu comprei um iPad! É isso mesmo! Agora... Como eu vou pagar é outra história, kkk! É queridos leitores a minha vida mudou muito. E as coisas realmente viraram de ponta cabeça esse ano. Eu terminei um relacionamento de 10 anos, comprei uma carro, troquei de emprego duas vezes e... Enfim, pela primeira vez na minha vida não estou com medo do meu futuro!
Agora, com iPad e um novo emprego, eu vou seguir em frente com a minha vida!

sábado, 11 de junho de 2011

Nada como começar o dia…

Saudações planetárias!!!

Mais uma vez me dirijo aos habitantes desse Planeta para falar de dor.

Não que eu esteja sentindo alguma dor, aliás estou ótima,venho falar da dor alheia. Eu sempre fui muito empática. Muito mesmo!

Sempre me sensibilizo com os sentimentos do próximo. Seja o sentimento bom ou ruim estou eu lá ansiosa ou triste pelo outro. Hoje foram duas situações: uma aluna do inglês me falou de uma entrevista para uma chiquérrima empresa para a qual ela está participando, ela tem um P$#@ potencial e fiz o que pude para ajudá-la na entrevista em inglês estou ansiosíssima por ela; e um amigo que está sofrendo de amor por uma pessoa que não lhe tem o mesmo sentimento, falamos por MSN e tentei amenizar a dor, mas também estou com o peito apertado (não é o sutian) por saber que tem um amigo sofrendo.

Essa empatia as vezes me faz refletir sobre as coisas e as pessoas… Espero que tudo de certo para todo mundo… Porque, seguindo a lógica, se todo mundo ficar feliz eu também fico! (sou tão boazinha que até enjoa!)

Beijuis planetários! Fiquem bem!!!

terça-feira, 7 de junho de 2011

Tem horas que…

Tem horas que eu só preciso de um banho quente, uma cama e de um minuto.

Existem momentos da minha vida que eu não sei o que fazer, nem o que dizer. As vezes sinto tanto orgulho das minhas conquistas e sinto que a felicidade está tão perto. Tem vezes também que esse sentimento vai embora e eu me sinto sozinha.

Tem horas que só uma chuva forte me acorda. Tem horas que nem a chuva… E é nessas horas que eu preciso de mim! Do meu minuto.

Tem horas que esse minuto não basta. Tem horas que eu preciso de alguém.

Passei por muitas coisas esse ano. Aprendi coisa demais. Fiz bastante coisa. Dei a minha vida outros rumos.

Mas, assim como esse texto desconexo, ainda não coloquei as coisas no lugar, não sei se posso, nem se devo muito menos se quero.

Tem horas que eu acho que um brinquedo novo resolve tudo. Talvez resolva!

Tem horas que não… Mas essa sou só eu. Eu e essa poesia sem sentido!

Pessoas são pessoas!

O que são pessoas para você?

Gente com quem temos com que conviver? Seres pensantes? Pessoas são complicadas? Animais? Seres do mundo?

Para mim, pessoas são pessoas e pronto. Dia desses estava assistindo um Jornal da Record que passa de tarde onde a apresentadora, que eu nem sei o nome, defendia que o governo não tinha que promover o homossexualismo através de panfletos que estavam sendo chamados de Kit Gay. Sei que essa história é velha e que esse termo foi vinculado pelo tal parlamentar Bolsonaro, mas será que a jornalista sabia?

Ela sequer leu os panfletos? Eu acredito que não o que é muito triste. O ponto em questão aqui não é o kit gay ou o fato da jornalista ser ou não mal informada. Esse texto trata de pessoas que, como tais, têm o direito de amar quaisquer outra pessoa independente do sexo.

Eu acho que essa jornalista deve aprender que orientação sexual não é uma escolha, porque se fosse quem é que escolheria ser gay nesse mundo pequeno e preconceituoso em que vivemos? E que não são panfletos contra a homofobia que servirão de propaganda. O ser humano é condicionado a optar pelo caminho mais fácil e mais seguro desde pequeno. Alguém nesse país acredita que ser gay é, de alguma forma, fácil?

As pessoas já são julgadas pelo que comem, pelo que ouvem, pelo que acreditam, pelo que ganham, pelo que compram e gastam, pelo que têm e que não têm, pelo que vestem… Não é demais julgá-las também por quem amam?

Afinal de contas somos todos pessoas mesmo!

pessoas