terça-feira, 11 de outubro de 2011

Como as coisas são?

Hoje eu li algumas coisas sobre humor. Estou estudando maneiras de escrever textos e lendo algumas coisas relativas à maneira como as pessoas se expressam e trombei com vários textos e muita informação sobre o que aconteceu com Rafinha Bastos. Eu sempre gostei dele. Descobri quem ele era através de um site que ele tinha onde eram postados alguns vídeos. O primeiro vídeo que eu vi na internet foi no site do Rafinha. Acho que era uma paródia de uma música do Latino.
Aí vieram os comerciais e a tv logo depois o CQC. Esse programa foi engraçado, porque eu nunca tinha visto e uma amiga minha disse que eu tinha que assistir, que era a minha cara.

Sempre fui conhecida como uma pessoa engraçada, brava e de uma sinceridade extremamente afiada, não consigo parar de falar até que tenha dito tudo o que preciso dizer. Comecei a acompanhar o programa e não perdia nenhum até o dia que o Tas pediu desculpas por uma piadoca que ele fez onde foi ameaçado de ser processado.

Depois desse dia eu comecei a achar o programa muito "chapa branca" e nada parecido comigo no final das contas.
Agora isso, o humorista foi afastado da bancada do programa por causa de uma piadoca sem graça. De castigo por que mexeu com a Wanessa Camargo que por acaso é amiga do Ronaldo que é parceiro de um empresário... Enfim, eu tinha razão quando deixei de ser fã do programa.

Dia desses estava assistindo tv quando parei no programa do Ratinho e entendi o porque dele ser tão marginalizado. Não é por causa da qualidade do programa, tão somente, também é uma forma de fazer com que as pessoas fiquem condicionadas á programas ditos " de qualidade " onde não se tem opinião e não se mexe com ninguém. Não se pode pensar na TV brasileira, quem tem dinheiro não deixa e a audiência, que foi treinada a não pensar e concordar com tudo, também não deixa...

Bom ou isso é uma forma de censura velada ou eu não sei como as coisas são!

Nenhum comentário:

Postar um comentário