quarta-feira, 30 de junho de 2010

Ás vezes as coisas não andam bem!

 

Ás vezes, as coisas não andam tão bem. O que fazer nesses dias? Quando sua cabeça pesa mais do que o seu corpo e você se desequilibra, senta no chão e encosta na parede seus olhos procuram o céu tentando ler alguma solução. Você não encontra nada!

A mesmisse para mim é um grande defeito, mas não é pior do que o medo do desconhecido. Você fica o tempo todo tentando mudar de vida e chegando a oportunidade você sente medo.

É. Ás vezes as coisas não andam bem. O Mundo gira, gira e você fica pensando em situações que poderiam fazer com que você tomasse uma atitude, mas pensar em situações não vai fazer com que você tome atitudes. Em um mundo onde tudo o que é exigido de você não é nada daquilo que você quer. Agir, de vez em quando, é bem difícil.

Pular fora, dar o sinal para desçer do ônibus, pedir as contas…

É, ás vezes as coisas não andam bem!

Kaká Bad Boy! Muito bom mesmo…

Bom, eu prometi que não ia mais falar de futebol mas… esse vídeo é bom demais! Para ilustrar um sonho que eu tive! Parabéns ao blog Testosterona!!!

terça-feira, 29 de junho de 2010

E Estamos nas quartas de Final!!!

 

 

bandeira_brasil

Não vou mais falar de futebol eu prometo! É que essa que aqui vos fala é fanática por copa do mundo! Não consigo evitar, eu costumo acompanhar todas as equipes, saber quais seleções ganharam quais títulos, seguir os jogadores convocados que podem dar problemas para a seleção Brasileira (que aliás bateu um bolão ontem né!), saber pontos fortes e pontos fracos dos nossos jogadores… Não chego ao ponto de colecionar figurinhas, mas tenho tempre uma tabelinha com todos os resultados que faço questão de preencher à mão! É isso, curto o futebol mundial e esse parece ser o meu maior defeito! E com toda essa experiência (!) eu digo e repito: Eu curti a seleção escalada pelo Dunga!

É gente, estamos mesmo sem craques, temos volantes demais e uma ou outra falha que já tinha que ter sido sanada e ainda não foi, mas se a gente analisar o histórico do Dunga podemos entender certas escolhas. O atual técnico da seleção jogou 3 copas e sofreu fazendo parte de equipes que não estavam entrosadas com jogadores que tinha jogado pouco juntos. Com a atual seleção ele quis fazer diferente, escalou jogadores que já faziam parte de um grupo redondo. Grupo esse que ganhou a Copa America, Copa das confederações e deu um show nas eliminatórias da copa do mundo. São jogadores que ele confia e que ele conhece bem! Acho que ele merece um voto de confiança…

Eu acredito piamente na Seleção e acho que vamos ser Hexa com certeza… Talvez nem tanta certeza porque vem a Holanda por aí e depois, talvez, o Uruguai e mais tarde, quem sabe, a Argentina…  Vamo continuar firme e forte nessa andança porque agora, na copa, se perder tem retorno sim!!!

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Joguinho sem - vergonha

 

Hoje, dia do terceiro jogo do Brasil na primeira fase do Mundial, e o dia já começa com jeitinho de preparação. Todo mundo se esquematizando como vai fazer pra assistir o jogo, quem vai trabalhar, quem vai ser dispensado, quem vai assistir no trampo…. Eu assisti no trampo. A HP, empresa que eu trabalho, montou uma estrutura com dois ambientes para o evento de hoje. Tinha lanchinhos e bebidinhas na faixa e muita agitação desde manhã cedo. O jogo não foi lá essas coisas, mas definitivamente jogos do Brasil na Copa do Mundo exigem mesmo muito de mim! Eu tirei umas fotos do telão em que eu estava assistindo o jogo (e me descabelando).

 

IMAGE_106 IMAGE_109 IMAGE_120 IMAGE_114

IMAGE_119 IMAGE_111

IMAGE_103 IMAGE_102

IMAGE_108 IMAGE_108

Vamos às observações pós jogo:

1 – O Cristiano Ronaldo é um feioso! Tem cara de macaco e não me parece muito masculino não, não se pode confiar em homens que tiram as sombrncelhas neam?

2 - E o Júlio César hein? Gatão demais! Eu pegava e dava um rolezão no shopping ( se é que vcs me entendem!) Adoro homens grandes, ombros e peitos largos….

Por hoje é só. Soprem as vuvuzelas, segurem  vossas Jabulanis que o Planeta não tem Retorno!

terça-feira, 22 de junho de 2010

Manipulação da Rede Globo? Nunca!

 

Todo mundo achando que o Dunga ficou puto gratuitamente. Mesmo todo mundo apoiando o Dunga e mandando o Tadeu Shmidt calar a boca, tudo ficou parecendo que a grosseria do treinador da seleção foi um ataque puro e simples… é mas não foi bem assim!

O Vídeo abaixo mostra que, na verdade, o Texto do Tadeu foi um editorial e não um texto de autoria do jornalista e que talvez não expresse a sua própria opinião e sim a opinião da Empresa REDE GLOBO de Televisão.

De acordo com o UOL, o motivo do nervosismo do Dunga não era nem o fato do Jornalista da emissora Alex Escobar ter balançado a cabeça em sinal de desaprovação e sim pelo fato de ele ter percebido que o jornalista falava dele. Acontece que o Ricardo Teixeira da CBF tinha negociado com a Globo que dois jogadores dariam entrevistas exclusivas que seriam exibidas no Fantástico e o Dunga simplesmente vetou. No momento da coletiva Alex conversava com Tadeu sobre o veto e o treinador percebendo do que se tratava não gostou….

Bom eu não tenho opinião formada sobre isso, mas é importante que as pessoas tirem suas próprias conclusões e não denigram a imagem de ninguém por que “ A globo falou!”…

coisa2

 

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Dunga X Globo

Besta, Burro e cagão? Foi isso mesmo que ele disse? Ficou faltando bobo, feio cabeça de melão! KKKK e será que é possível fazer leitura labial no resto porque eu não entendi, o Dunga nem pra articular também… E a Globo ficou dodóizinha!

8 Princípios

Leituras

silly-shakespeare balzac

 

   

Eu aprendi a ler e escrever muito cedo e com 3 anos já discutia com a "tia" do parquinho porque eu queria fazer lição e não ficar pintando ou fazendo recorte. Minha mãe foi chamada várias vezes na escolinha por minha causa, ora era porque eu arumava encrenca, ora era porque eu não deveria ficar muito tempo entre os adultos...
    A verdade é que eu sempre fui muito precoce e sempre quis ser independente. Não via utilidade em ler histórinhas, para mim leitura tinha que ter informação e me ensinar alguma coisa. No primário eu era quase a pior aluna, não por ser burra mas por comportamento mesmo, não achava que as professoras soubessem mais do que eu e então fazia só o que eu queria e nunca o que elas mandavam.
    Depois fui morar em Portugal, lá as coisas eram um pouco diferentes. Eu obedecia mais e era mais comportada, não tinha muitos amigos e por isso ficava muito tempo na biblioteca da escola e assim adquiri o hábito de ler por prazer e não por obrigação. Lia de tudo, contos, livros de ciência, curiosidades, enciclopédias e dicionários, romances franceses, Shakespeare até que o acervo do colégio começou a me parecer um pouco limitado. Daí eu comecei a frequentar a biblioteca municipal da cidade. Tinha vezes que eu chegava lá antes de abrir e ficava esperando ansiosa do lado de fora, adorava aquele lugar e, frequentemente, arrumava desculpas para fazer trabalhos ou pesquisas na biblioteca.
    Depois voltamos para o Brasil, e comecei a frequentar o ensino médio público. Bom, a biblioteca era e ainda é imprópria para qualquer ser pensante e eu desisti, os professores não promoviam a leitura na sala de aula e eu arrumei amigos logo, a leitura começou a ficar em segundo plano. Depois foi a faculdade, fiz alguns meses de cursinho e o vestibular exigia a leitura de alguns livros que eu já tinha lido, estudei bastante mesmo durante esses meses e passei no vestibular da USP para Letras. Agora as leituras eram abundantes, todo o glamour USPiano dos primeiros anos me dava ânimo e disposição para ler todos os textos de todas as matérias da grade até que, chegou o terceiro ano e a crise se instaurou em mim, misturou com as greves frequentes, com a falta de grana e o cansaço, as leituras agora tinham o peso da obrigatoriedade. Desde então só tenho lido o necessário.
Nesse meio tempo eu li alguns livros, romances best sellers e livros de auto-ajuda, mas quando olho pra trás e lembro do Shakespeare e de Balzac que eram meus companheiros sinto a culpa de um retrocesso.

Segurem a Peruca porque o planeta é sem retorno!

Cala Boca Tadeu Schmidt

Mais um trending topic que vai virar assunto internacional... O SR Tadeu Schmidt tentou fazer a caveira do Dunga depois de uma coletiva que o nosso treinador xingou os jornalistas com todo o carinho e delicadeza que lhe é característico... Olha, eu acredito que ninguém é obrigado a aturar nada de ninguém ( essa é só a minha opinião). Depois o Dunga não deve mudar o jeito dele pra agradar jornalista nenhum de qualquer emissora que seja, e mais o Tadeu bem que tentou usar o elitismo que a Globo representa para fazer a caveira do Dunga mas... não conseguiu porque existe o twitter cheio de gente que pensa por si próprio e consegue tirar suas próprias conclusões.

Cala Boca Tadeu Schmidt

calabocats

 

domingo, 20 de junho de 2010

Jogando com categoria

bandeira_brasil

Que joguinho sensacional esse de hoje Hein??? Adorei a postura do Kaka mostrando que não é nenhum muleque e que tem sangue nas veias, mesmo sendo expulso mostrou a razão de ser o Maestro do Real Madrid… Gostei Kaká continua assim que o Hexa vai ser nosso!!!

Hoje eu queria falar de identidade nacional

o futebol quer queiramos ou não é um dos símbolos que formam a nossa identidade nacional.
Nossos jogadores, motivo de orgulho e nossa estilo de jogo é basicamente o único tipo de estilo que a gente brasileira consegue se identificar como próprio

É eu digo isso porque tenho lido no twitter um monte de gente falando mal e reclamando dessa comoção que os jogos da seleção vêm causando. O Brasil pára por 90 minutos... e tals

Mas quem ja morou fora, como é o caso dessa que vos escreve... sabe que isso é uma das coisas que mais sentimos falta quando não temos Brasil.

A política não é nossa praia, nem a dança, o atletismo, a formula 1, mas o futebol e o orgulho que ele nos proporciona faz com que ele não seja só um simples esporte mas um simbolo da nossa nacionalidade...

É tem gente que não gosta disso, tem gente que detesta isso mas... não há nada a fazer. O futebol como a nossa bandeira é um simbolo e é o que temos pra hoje... Temos que ter orglho disso. Eu tenho!

Vai que é essa copa é sua Dunga!!!

Agarra essa bandeira Brasil que o Planeta não tem Retorno não!

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Mais Cala Boca Galvão Pelo Planeta!

 

O site What the Trend começa a estragar a nossa brincadeirinha com o comentarista Galvão Bueno! Apresentando a definição real da expressão. Droga! Estava tão legal!!

O próprio Galvão ainda teve a cara de pau de dizer que adorou a brincadeirinha e que apóia a campanha de salvar o papagaio galvão… Mas isso sem deixar de se gabar um pouquinho falando que o apelido foi dado por ninguém menos que o Grande Ayrton Senna (veja aki) e não por nós pobres tuiteiros…

E sabe quem também notíciou a nossa pegadinha, O grande New York Times! Olha como isso cresceu. Esse twitter não é brincadeira não!

New York Times

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Cala Boca Galvão!

Eu adoro o Twitter! Muito mesmo!

Cala Boca Galvão já trending topic desde a última quinta-feira quando ele não parava de falar e de dançar (diga-se de passagem) durante a abertura da cerimônia da Copa do Mundo a África do Sul.

Como os trendings agora estão mundiais forever... os gringos começaram a se perguntar o que seria CALA BOCA GALVÃO. A criatividade e astúcia dos brasileiros no twitter mais uma vez surpreende. Algumas pessoas começaram a espalhar que seria uma música/clipe novo da Lady Gaga outros falaram uma forma de salvar pássaros na amazonia, criaram até um Instituto CALA BOCA Galvão, não demorou que fossem criados vídeos com a piada no youtube. Só sei que estava eu navegando quando o El Pais (!) da Espanha já estava notociando a peripécia.

twitter

Tweet Rosana

twitter tas 

Tweet do Tas

 

 

A primeira pegadinha internacional da história!!! Nem o Serginho Malandro teria a capacidade de pensar nessa! kkkk

Livro

Livro,

delorean

Eu tenho duas histórias para o meu livro: Uma viagem no tempo e uma história de amor. A viagem está me dando mais trabalho porque tem que pensar mais e pesquisar, a história de amor é mais fácil mas eu corro o risco de cair na "melosidade".... Bom, não to nem aí vou continuar escrevendo. A viagem eu não vou postar aqui porque tem muitas pistas mas, mais para frente, quando o livro já tiver um desenvolvimento eu posto algum capítulo.

A história de amor segue uma linha de romance de banca de jornal e é sobre uma garota super prodígio que tem uma série de manias e transtornos obsessivos compulsivos. Nunca teve uma infância normal ou sequer uma adolescência e, por isso, se tornou uma adulta cheia de problemas. O primeiro capítulo chama-se um "Prodígio Quebrado" e já foi postado aqui no blog. Ela conhece um cara em um acidente e passa dias pensando nele, nunca mais o vê depois do dia fatídico em que se conheceram, quando o reecontra ele é seu aluno. Esse personagem é tudo o que ela nunca foi e que nunca pensou que podeira ser e ele a atormenta e muda a sua vida por completo.

Parece até sinopse de filme de sessão da tarde na Globo!

A viagem é uma viagem mesmo... Ou seja eu viajei na batatinha geral! Escrevo sobre uma pessoa comum que começa a ter uma série de visões e, do nada, conhece uma super celebridade. Juntos eles começam a se descobrir e a descobrir uma série de acontecimentos sem nenhuma explicação até se deparam com uma máquina do tempo.

Enfim é isso

Queria que os meus leitores me dessem algumas idéias de cenas para incluir no livro, darei o devido crédito para quem auxiliar além de fama e sucesso e dos meus mais sinceros agradecimentos.

Beijuis e segurem-se que o Planeta não tem Retorno.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Cenas Desencanadas

 

Get this widget | Track details | eSnips Social DNA

Agregando valor…

valor_agregado
Ultimamente estou com uma vontade insaciável de escrever. Isso sempre acontece a hora errada, mas são tão escassas as vezes que isso acontece que um momento como esse não pode ser desperdiçado. Estava pensando no valor das coisas que eu escrevo de uma forma geral. O que agrega valor aos textos? O que um texto precisa ter para que digam que ele é bom?
Antes de falar sobre isso, levei em conta tudo o que eu li e que me disseram que era bom, tudo o que eu já li que eu realmente achei bom e todas as coisas que já falaram sobre "textos bons".
Eu gostei de ler Código da Vinci e Anjos e Demônios do Dan Brown, e colegas da minha faculdade disseram que esses livros eram mal escritos e com traduções péssimas para o Português e que não valiam o esforço da leitura. Eu não gostei de ler O Alquimista de Paulo Coelho, mas a minha mãe leu e adorou. Qual opinião vale mais? Eu passei a acreditar que o valor de um texto é dado por quem o lê e revive o texto.
Por muito tempo tive vontade de escrever várias coisas, mas o medo de que o que eu estava fazendo não fosse bom o suficiente me fizeram perder a coragem de arriscar nos meus escritos. Poesias, contos e romances que brotavam na minha cabeça se perderam por causa desse receio imbecil. A partir de hoje eu escrevo sem medo nenhum das palavras que saem das pontas dos meus dedos, as vezes rola um medinho ou uma adrenalina a mais... Mas é o que da o sabor à profissão de coração que eu escolhi.
A quem eventualmente estiver me lendo agora eu faço um apelo, não deixe de fazer as coisas que você mais gosta por medo do que os outros irão pensar, pois quem da valor ao que você faz é você mesmo e quem reviver o seu feito através da apreciação. Se existirem pessoas que não gostam do que você faz, faça para aquelas que gostam sempre tem alguém... (nem que seja a sua mãe!) O valor ou a qualidade imposta ao seu trabalho não tem padrões por isso ninguém pode dizer que você está errado.
Beijuis e não se esqueçam de olhar bem o caminho porque o Planeta não Tem Retorno!

terça-feira, 1 de junho de 2010

Vivendo Exponencialmente…

Hoje eu postei exponencialmente também né… é que durante os dias que eu fiquei sem atualizar o blog andei pesquisando os melhores conteúdos para disponibilizar à vcs queridos leitores (peraí esse é outro blog…) Mas enfim esse vídeo que eu vou postar agora é muito interessante e preocupante ao mesmo tempo…
O vídeo abaixo fala da forma exponencial em que estamos vivendo no planeta Terra.
Quando as coisas vão aumentando desmesuradamente tudo começa a ficar perigoso.
O vídeo está em inglês mas eu dei uma traduzidinha básica pra facilitar, dada a importância desse vídeo.

Se vc fosse 1 em 1 milhão na China, haveriam 1.300 pessoas iguais a vc.
A China logo se tornará o país número 1 em falantes da língua inglesa no mundo!
Os 25% da população da Índia que tem os QIs mais altos é maior que o total da população dos Estados Unidos.
Ou seja: A índia tem mais crianças prodígios do que EUA têm crianças
Você sabia?
Que os 10 melhores empregos on-demand em 2010
não existiam em 2004.
Nós estamos atualmente preparando estudantes para empregos que ainda não existem usando tecnologias que ainda não foram inventadas para resolver problemas que a gente ainda não sabe que são problemas ainda...
Você sabia?
O Ministério do Trabalho dos EUA estima que estima que o estudante de hoje terá tido 10-14 empregos até chegar à idade de 38 anos.
1 em cada 4 trabalhadores ficaria com o seu empregador atual menos de um ano.
1 em cada 2 há menos de cinco anos.
1 a cada 8 casais que se casaram nos Estados Unidos se conheceram on-line.
Existem mais de 200 milhões usuários registrados no MySpace
Se o MySpace fosse um país seria o quinto maior do mundo ( entre Indonesia e Brasil)
O país número 1 em Penetração de Banda larga à Internet é Bermudas.
O 19° Os Estados Unidos
e o 22° Japão
Você sabia?
Estamos vivendo em tempos exponenciais
Existem 31 bilhões de pesquisas no Google todo mês
Em 2007 esse número era 2.7 bilhões.
A quem era feitas essas perguntas A.G? (antes do Google)
A primeira mensagem de texto comercial foi enviada em Dezembro de 1992.
Hoje, o número de mensagens de texto enviadas e recebidas todos os dias excedem o número da população total do planeta...
Anos que levou para atingir um público de 50 milhões
Radio 38 anos
TV 13 anos
Internet 4 anos
iPod 3 anos
Facebook 2 anos
O número de dispositivos de internet em 1984 foi de 1.000.
1992 1.000.000
2008 1.000.000.000
Existem por volta de 540.000 palavras na Língua  Inglesa
Cerca de 5x mais que no tempo de Shakespeare.
É estimado que o coteúdo de uma semana do jornal New York Times tem mais informação que uma pessoa no século 18 teria acesso durante a vida inteira.
É estimado que 4 exabytes (4.010^19) de informação (sem repetição) será gerada esse ano.
Isso é mais que nos 5000 anos anteriores.
A quantidade de informações tecnicas dobra a cada 2 anos
Para estudantes iniciando um curso técnico de 4 anos isso significa que metade do que eles aprenderam no primeiro ano de estudo estará desatualizado quando chegarem no terceiro ano.
NNT Japan testou com sucesso um cabo de fibra ótica que trafega 14 trilhões de bits por segundo  através de uma única fibra.
Isso são 2660 cds ou 210 milhões de ligações de telefone por segundo
Atualmente está triplicando a cada seis meses e espera-se a fazê-lo para os próximos 20 anos.
Até 2013, um supercomputador  que excede as capacidades computacionais do cérebro humano será construído.
Existem previsões de que em 2049, um PC de 1000 doletas irá exceder as capacidades computacionais da raça humana inteira
Você sabia que durante o curso dessa apresentação
67 bêbes nasceram nos Estados Unidos?
274 na China
395 na India
e que 694,000 músicas foram baixadas ilegalmente
Então o que tudo isso significa???
Pesquisa e original por:
Karl Fisch
Scott McLeod
Jeff Brenman
Agora a Pergunta:
O que esse vídeo te diz???

Expectativas

 

Vasculhando a internet eu achei esse vídeo maravilhoso… Cara a música é realmente parte da vida humana.

 

Encantos e o Começo de tudo

Primeiro Capítulo do meu livrinho… para degustação! Enjoy!
livro
Um Pródígio quebrado!
Uma história que eu tenho que contar! Bom, quando eu nasci me falaram que eu era um gênio! Muito espertinha aprendi a ler antes de falar direito... Um verdadeiro prodígio! Não precisei de ensino básico e com 7 anos ja estava no ensino médio de uma super escola. Meus pais, embora brasileiros, moravam nos Estados Unidos e, com a ajuda do governo, me colocaram em uma unidade especial para pessoas como eu. Ninguém era como eu.
Eu fui adolescente com 10 anos, defendi a minha primeira tese com 11 "O sentido de sociologia nos colégios". Não me deixariam entrar para a faculdade antes dos 15... Mas, mexendo alguns pausinhos, conseguiram que aos 13 eu entrasse em Stanford. Com 15 anos a minha segunda tese e terminei a graduação. Um espanto! Com 17 era o meu mestrado e mais duas teses!!! Com dezoito começei o doutorado e a minha produção intelectual já tinha trazido milhões para a Universidade. Com 20 anos ingressei no pos-doc... Não pude terminar porque tinha que ter algumas horas de docência. Muitas horas, dariam anos de tantas horas que seriam... E eu desisti!
Talvez vocês não tenham entendido... É que eu pulei uma parte da minha história... Na minha própria vida os saltos foram frequentes, os parâmetros nunca serviam para mim e as pessoas... Ah! as pessoas, eu tinha medo delas. Não me aproximava muito de ninguém por várias desculpas, ora micróbio ora alergia. Acontece que fiquei agorafóbica e desenvolvi um transtorno obsessivo compulsivo.
Não saia da casa, e tudo era controlado para que eu não me perdesse nas minhas loucuras até que uma psiquiatra decidiu que eu deveria lecionar a qualquer custo. Não imaginariam que eu desistiria do pós doutorado depois de tudo o que eu tinha produzido. Mal sabiam eles! A minha fobia era maior que a necessidade de trabalhar que também era grande. Parei por alguns anos, mesmo sem parar de produzir, mas existiam coisas que eu ainda precisava fazer e a universidade não me dava mais livre acesso quanto antes. Era uma forma de me pressionar a voltar a vida acadêmica. Eu queria voltar mas para isso teria que lecionar.
Resisti bravamente, não seria capaz de sair de casa todos os dias então sugeri video conferência, ou gravar as aulas mas a traidora da minha psiquiatra reforçou o coro dos malditos academicos.
Trabalhei e produzi bastante, só que as minhas pesquisas ficaram arquivadas em casa, não distribuí ou dividi as minhas teses com nenhuma universidade e fiz questão de publicar os meus livros independentemente sem o apoio deles. Procurei outras universidades que antes me assediaram para trabalhar com eles, mas eles também mantinham o quesito da docencia, eu falei que estava apenas disponível para pesquisa só que a minha psiquiatra, que era bastante influente, os desencorajou dizendo que eu tinha problemas.
A Stanford insistiu por muitos tempo e Jane, a minha psiquiatra, depois de ter sido demitida umas vinte e cinco vezes e recontratada em seguida outras vinte e cinco, me convenceu que eu tinha mesmo que voltar. Bom, fiquei em tratamento e remédios anti-ansiedade por uns meses e ensaiei todas as técnicas psicológicas possíveis de auto-controle.
Meditações e saídas moderadas de casa, foram a minha rotina assim como usar o carro, dirigir e trazer comigo todas os objetos que me faziam sentir mais aconchegada, livros, fotos, lenços...
Antes de voltar pedi que a minha sala tivesse uma mesa igual a que eu tinha no escritório da minha casa, e que a vaga de estacionamento fosse bem próximo a porta de entrada para que eu não tivesse que andar muito. Minha médica/amiga/traidora Jane teria que assistir as minhas primeiras aulas. Depois de todas as exigências aceites e providenciadas, o combinado era que eu voltasse às aulas, a passear por aqueles corredores novamente.
Meu coração batia muito forte só de pensar em tal coisa. Pessoas, gente muita gente. Sair de casa e estar fora do meu ambiente controlado e protegido. Mas eu tinha um compromisso e a Jane estaria lá. Ela às vezes mentia para mim. Será que estaria mesmo?
Entre tremedeiras e taquicardias é esse o momento em que me vejo hoje.